[Português] Semana de 23 a 29 de Maio

Começa um sentimento de agressividade desproporcional, como se as nossas frustrações florescessem e quisessem executar erroneamente as nossas perturbações internas. Afinal, o inimigo está dentro de nós e não na frente ou do outro lado como gostaríamos que estivesse para derrotá-lo de uma vez por todas e acabar com certos tormentos ou ansiedades. A falta de paciência e a cegueira para os pressupostos que nos dizemos leva a cometer erros ligeiros e desproporcionados, relatando simultaneamente: esquecemos compromissos, alteramos condições ou colocamos a força do castigo no ponto errado. Semana onde as negociações se confundem com imposições, e é preciso muita maturidade e consciência para acalmar o ímpeto transbordante. Da mesma forma, a energia que nos perturba também nos impulsiona fortemente para aquela veemência irada de os nossos projetos e daquilo que acreditamos ser verdade para nós. O fogo interior empurra-nos ansiosamente para chegar a algum lugar. Portanto, são tempos de força e vontade de acrescentar a energia de entusiasmo nas nossas iniciativas. E se não houver iniciativas, a recomendação é não pensar ou calcular tanto só precisas de espírito para iniciar. Não tentemos forçar o que não tem energia ou não tem substância e alma. Não vamos forçar amizades. Não vamos forçar os lucros. O excesso desfaz as intenções, pois a sensibilidade alheia choca. Deixa as coisas acontecerem e lida com as circunstâncias com um espírito leve. Se tivermos que perder, perdemos. Se tivermos que vencer, sentiremos essa pequena vitória garantida. Ser guerreiro é saber esperar o momento em que a vontade encontra a ideia. E isso pode ser no final de maio ou início de junho.

No plano de trabalho e dinheiro

Semana para perder as proporções das nossas ambições e perder tudo pelo ímpeto de querer as coisas da nossa forma. Não empurres a tua paciência ao limite com os teus projetos ou outras atividades. Em vez disso, concentra-te em entender que as atividades não são uma vitória para a vida, porque a vida é muito mais do que alguns euros. As relações de trabalho são tensas por diferenças de esforço e instruções confusas. Assim, a comunicação torna-se essencial para ser preciso, mas também para saber ouvir e voltar ao foco real da realidade. No plano do dinheiro, a abundância aumenta e a generosidade e as boas intenções criam laços de maior confiança. Não significa confiar cegamente, significa ser direto e claro o suficiente para saber determinar as nossas intenções, pois se se trata de abundância, os lucros precisam chegar às nossas mãos.

No plano sentimental

Semana para ouvir e ser ouvido. Não se trata necessariamente de reivindicações e discussões. Não temos que pensar ou sentir o mesmo, mas sim amar as diferenças para que a amizade e o amor não sejam monocromáticos, mas variados para que, como no ritmo de uma dança, cada um tenha seu tempo para dizer, fazer e sentir suas emoções. O amor torna-se rebelde e o erro de colocá-lo à prova é desproporcional devido ao desespero interno e não a fatores da outra pessoa. O amor merece ser atendido com ouvidos e olhos. A atenção evita a tensão. O amor precisa de carinho e abraços. O amor precisa estar presente para acalmar o fogo das frustrações da vida individual.

No plano experiencial

Semana para se apaixonar e se deixar levar pelo que nos é oferecido. Se nos derem água, bebemos água, se nos derem vinho, bebemos vinho. Semana de deixar de lado as exigências para entender que depois das tempestades vem a brisa que coloca tudo em ordem. Estamos em tempos em que a frustração precisa impor seu triunfo. O mais forte não vencerá, o mais bem alimentado vencerá. Quem tiver mais experiência, mais paciência, mais tolerância e mais capacidade de entender o tamanho dos adversários ou os motivos pelos quais se opõe, sairemos com vitórias e comemorações que não precisamos, mas sim facilitar e abrir portas no futuro. O divino não está em lugar nenhum. Nem quer acordos ou médias. Ele quer que a consciência humana entenda o sentido da vida e o propósito de cada um. E não viemos a este plano para sofrer ou tolerar o que a nossa agonia não quer. A decisão pode ser tomada, mas é melhor rever cuidadosamente a agenda antes de criar outra guerra ou vencer os inimigos da vida de graça. Cada ato, sempre depois da paciência.

 

fernandoconfianza-1

Donativo

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho.

5,00 €