[Português] Semana de 31 de Janeiro a 6 de Fevereiro

Emaranhados de emoções, sentimo-nos no final de uma corrida em que estamos nos desintegrando do que sabemos sobre nós mesmos e aproximamo-nos de uma nova maneira de ser. Nos deixa zangados, tristes, frustrados por não nos reconhecermos ou não reconhecermos a atitude dos que nos rodeiam. Os acordos não são cumpridos, ou a raiva do passado floresce quando percebemos que nunca vamos cobrar o que ainda acreditamos que devemos. Por outro lado, estamos a amadurecer rapidamente, percebendo que há coisas que devemos deixar para trás e coisas que precisamos aceitar como uma nova realidade. A terra move-se e coisas extraordinárias acontecerão obrigando-te a ter as tuas próprias explicações, não justificando os infortúnios, mas assumindo a responsabilidade que temos em tudo o que acontece. Veremos oportunidades nas desvantagens. Somos movidos por ambições, mas temos medo de etapas e condições, porque sentimos que o desconhecido são as circunstâncias que não estão do nosso lado. Os adultos não acreditam que o mundo está contra nós, usamos as desculpas como força para tentar chegar onde queremos. O velho não vai voltar. E as explosões voltam para nós. Os rancores e desejos raivosos de nossos inimigos, nos fazem chover fogo destrutivo. Só a responsabilidade e a visão mais próxima da realidade cuidam de nós e nos dão os sinais para saber o que fazer. Mas o mais importante, de um momento para outro, esta semana sentimos a força que nos impulsiona. Mas o alerta é que temos que saber para onde queremos ir, sem hesitação, determinados e com maturidade responsável do que realmente queremos implicar. A responsabilidade obriga-nos a assumir que são minhas decisões que nos levarão a um novo lugar.
No plano material e dinheiro
Semana em que o material é sensível ao desgaste, quebra, requer manutenção e cuidados. O material parecerá destruído ou desatualizado, e teremos que entender que tudo está a ser renovado em velocidades superiores às minhas explicações. Semana onde o trabalho em equipe é a única maneira de criar abundância. Não seremos capazes de vender ou fabricar sozinhos. Precisamos aliar-nos ou relacionar com pessoas que realmente contribuem ou se deixam contribuir em projetos que criem riqueza e valor. O dinheiro estabelece as tuas condições, mas não os teus obstáculos. O dinheiro quer relacionar-se conosco por maturidade, e não por dívidas. Por isso, quer bater à porta de quem sente que o dinheiro é usado para criar valor e serviço ao próximo, por meio da troca. Nada será de graça, ao contrário, o dinheiro mal ganho ou mal apropriado, passa por provações e condições que colocam em risco nossa honra e legalidade.
No plano sentimental
Semana para sentir muita paixão interior. Sentimentos e sensualidades alimentam-se de admiração. E torna-se uma semana para colocar os resultados concretos ou os fatos óbvios como parte do amor. Não é amor por amor. Não é paixão por paixão. Para receber, temos que dar. E isso é equilíbrio. Quando a equivalência é quebrada, o amor é perdido. O amor precisa de resultados e demonstrações concretos. Semana para as amizades se tornarem mais críticas. Podemos ter conversas muito afiadas sobre as realidades em que vivemos, mas quando esses comentários se tornam críticas ou aborrecimentos, aborrecimentos ou ofensas, estamos dispostos a fechar drasticamente as fronteiras porque não podemos mais carregar as críticas do passado. Portanto, é uma semana muito sensível e propícia para ganhar inimizade e raiva. Intolerância não é imaturidade, pelo contrário, é maturidade para saber o que queremos como sentimentos e o que nunca mais aceitamos nas nossas vidas.
No plano espiritual
Semana para aceitar que o nosso Eu precisa abrir mão das condições de vida. Isso não é perder, mas deixar de tentar o que a vida já disse NÃO. Semana para redefinir objetivos. Dentre as possibilidades que temos à nossa frente, aquela que não depende de nós, afastam-se ou não são para nossa vida. Somente a energia que decidimos é viável. Isso é maturidade. É entender que só o que está no nosso impulso é o que tem o poder de se tornar real. Isso magoa-nos. Sim, dói o que não vai acontecer. Mas o que é com ilusão e com a construção de possibilidades, torna-se possível, porque se temos vontade de perder o nosso eu, as nossas formas, o nosso ego, o nosso medo, as nossas condições de conforto e conveniência estão em equilíbrio do que é possível ou impossível. O divino coloca silêncio para que decidamos de coração o que queremos para nós e o que não queremos. O divino não nos dirá nada, porque está esperando nossa voz, nossa convicção de chegar a um lugar onde teremos que colocar tudo para recriar aquela serenidade e tranquilidade. O infantil é acreditar que o universo cuida de nós em todas as condições, e não é bem assim. O universo quer que sejamos nós mesmos, autênticos e acima de tudo, reveladores do nosso valor interior.

fernandoconfianza-1

Donativos

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho.

5,00 €