[Português] Semana de 22 a 28 de Novembro

Semana em que falam tanto sobre nós, que optamos por prestar atenção às fofocas, ou decidimos caminhar sobre os nossos alicerces. Na crítica à nossa pessoa, muito há que dizer o que falta ou sobra a quem o diz. Tens de saber que quem fala de alguém fala mais de si mesmo. Semana para ficarmos cientes de que não podemos viver a dar prazer aos outros. Semana de assumir as próprias formas com força. Às vezes, os nossos modos e crenças têm mais medo da mudança do que convicção de um caminho que nos sirva. No meio de alguns dias em que muda o cenário do nosso trabalho, da nossa vida social e emocional, temos que decidir questões profundas onde sobra pouco tempo para iniciar ou confirmar questões relevantes. E há um forte impulso de ser impulsivo, onde é nos difícil saber se é a evolução ou o medo que guia os nossos passos. Semana para manter o nosso centro. Entendemos que cultivar o ódio é culpar o que já temos por dentro. Dentro de nós vivem os fantasmas que tememos e odiamos, como testes para dominar e domar os nossos oponentes. Reconhecemos os nossos inimigos internos nos outros, que adotam a mesma atitude que detestamos. Não se trata de aceitar tudo o que acontece, mas de saber o que nos pertence e o que realmente nos magoa. São dias em que o que queremos não vai acontecer, porque o que realmente queremos está apenas nas nossas decisões – às vezes radicais – que nos levam a dar passos importantes. Possivelmente, estamos cheios de dúvidas porque o conhecido continua vencendo o desconhecido, quando os tesouros estão em terras desconhecidas e nunca na decisão provada.
No plano material e do dinheiro
Semana em que os problemas de dinheiro podem continuar. Na verdade não temos problemas, mas vemos que entramos em ciclos onde pagamos por alguns erros do passado ou reconhecemos que acreditamos necessário o que hoje é visto como um capricho. Aumentar a conscientização não recupera o custo, mas ensina. Os caminhos para o lucro permanecem em investir energia na criação e, possivelmente, na criação de novos projetos, talvez menores ou mais curtos no tempo. É hora de focar no que é importante, porque há coisas que continuarão sem nós. O dinheiro chega às pessoas que têm coragem e energia para contribuir com o mundo e com os outros. Chega também a quem sabe oferecer e receber com a simpatia de quem acredita que a retribuição é o fundamento da vida: dar para receber.
No plano sentimental
Semana calma mas calor interno. Confundimos fantasia com o possível. O possível só oferece serenidade e compreensão amorosa. A paixão è nos permitida como forma de reconhecer até onde a realidade pode se estender. Possivelmente, os sentimentos precisam de explicações, e teremos que fazer um exame para comprovar o que carregamos nos nossos corações. Ninguém nos pede para decidirmos sim ou não, mas há muitos indefinidos que hoje em dia precisam de transparência e definições. Estamos entramos em tempos de compromissos e promessas que devem ser cumpridos. Uma tentativa não é um triste sim. Um sim merece todo o esforço possível cheio de motivação, porque ninguém se compromete por obrigação, a não ser se for forçado pelo medo de perder, onde já sabemos que isso não funciona. Semana em que dizer não é também uma forma de dizer sim a si mesmo. Semana onde a honestidade é apreciada.
No plano espiritual
Semana para valorizar a flor na janela, para sentir que as nossas experiências cheias de detalhes valem a fortuna que temos. Semana para saber que há mais pela frente, mas com o que vivemos hoje, nos enchemos de energia para ir por mais. Estes são momentos em que o divino deseja compreender sua definição de progresso. Para energia, ter é reter e estagnar. Portanto, o divino irá acompanhá-lo em seus movimentos, decisões e satisfações. Semana para dar os primeiros passos daquilo que nos faz sonhar. Semana para nos dedicarmos. Nosso trabalho merece uma redefinição radical e sentiremos aquele suporte mágico quando quebrarmos os padrões do óbvio. A bênção é merecida por quem retorna da aventura, e não por quem a percorre com segurança, pois o conhecido já foi abençoado pelas centenas que construíram a estrada. Vamos viver o impossível dentro do possível, porque existe o incentivo de que precisamos. Sem saber nada de nada, criamos essa imensidão com o que intuímos, e não com o que sabemos.

fernandoconfianza-1

Donativo

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho.

5,00 €