[Português] Semana de 19 a 25 de Julho

Semana em que nos permitimos ser nós mais do que nunca. Além disso, uma semana em que todos mostram o lado emocional intensa, onde alguns terão os últimos acessos de raiva -mesmo destrutivos-, enquanto outros vão dar-se conta da falta de maturidade em aceitar e compreender que são tempos diferentes. Mas também traz algumas novidades para nos expressarmos como somos, finalmente apresentando as nossas verdadeiras intenções e sendo compreendidos um pouco mais. Às vezes, usamos linguagens do passado para explicar o presente. Não somos o que lembramos, somos o que sentimos. Semana em que nos sentiremos magoados ou atacados por aqueles que amamos. Serão como testes de resistência e tolerância às diferenças. Semana de falências em sociedades que nada mais são do que sinceridades no bom caminho de cada um. Semana de ideias para concretizar, porque se não for especificado, torna-se frustração na nossa mente. A mente armazena ideias que precisam conhecer a terra. Semana para sermos convidados a colocar os pés no chão, de onde é o único local onde podemos atuar. Cuidar da terra é cuidar do caminho que os nossos pés vão percorrer, e é uma semana para terminarmos de nos conscientizarmos de que é hora de cuidarmos e cuidarmos de nós mesmos por tudo que nos interrompe a paz e a harmonia connosco e com os os que queremos. Semana de voltas no roteiro: se não fizermos parte do capitão deste navio, seremos conduzidos por outros que nos dirão o que devemos fazer. Avisamos que não há dor nem arrependimento, pois estes não são tempos de ceder ao nosso gosto, mas são momentos em que todos construímos este tão novo chamado presente.

No plano material e dinheiro

Semana para colocar as nossas atividades em preto e branco. E não desde a catástrofe. Mas a partir das oportunidades que surgem. Possivelmente compreendemos que temos como aliado ou parceiro alguém que deseja trilhar outro caminho. É hora de nos libertarmos daqueles que começam a pesar e tomamos a iniciativa de viajar com mais leveza em direção às nossas ambições. O mesmo será feito por aqueles que sentem que somos o peso do presente e nos convidam a buscar as nossas próprias ilusões e sonhos. Ninguém quer nos magoar, mas causamos mais danos ao tentar ficar onde não pertencemos mais. O dinheiro está em quem anda com a mente nos sonhos e o coração nas razões. O dinheiro não fica escondido, só é visto por quem vê que o investimento tem retorno quando se aposta em aventuras com um pouco do impossível. Ninguém acreditava em muitas coisas, quando hoje quase tudo é possível. Pensemos com os olhos no horizonte e não com medo das nossas conveniências.

No plano sentimental

Semana em que procuramos possuir com a força de ter razão. Estes são dias de grande frustração e o impulso é para que os outros façam o que queremos. Os amigos não estão ao nosso serviço. Menos o casal. Mas o desejo incontrolável de dominar faz com que nossa pretensão exagerada, a nossa confissão infantil de deficiências e negações, faz a tua apresentação de forma irreverente e impulsiva. Um detalhe é suficiente para estragar tudo, e querer controlar tudo e todos fará só. Precisar sentir-se amado, admirado e desejado só mostra o equívoco de acreditar que o amor é obrigação do outro encher o nosso copo. O amor é mútuo e baseia-se na admiração e no desejo, e não na obrigação ou submissão.

No plano espiritual

Semana para confiar que a alma decide o que temos que viver e sentir. Semana de determinações que sentimos por impulsos que não significam nada que possamos explicar com palavras. Basta sentir a tendência do presente que nos impele a certas preferências. Não vamos negar com motivos o que seu coração quer viver, sentir, saber ou fazer. No erro está a aprendizagem, e o deslumbrante ensina-nos o que não sabíamos. Estamos longe de ser tempos de fracasso. Estes são apenas tempos de quedas de utopias que não se sustentam, que saltam para as novas com que sonhamos ontem. É hora de construir os nossos próprios universos, as nossas próprias formas, os nossos novos paraísos, porque tudo o que nos contaram não é mais palpável. Talvez a partir desta semana comecemos a ver as transformações cada vez mais seriamente, que não estão nos indicadores econômicos, nas taxas de progresso, ou nos sinais de crescimento. As transformações têm mais a ver com a solidez de um sonho comum, do que com o acúmulo do que enferrujará amanhã. Colocaremos valor na magia, em vez de chumbo pintado com dourado.

fernandoconfianza-1

Donativo

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho

5,00 €