[Português] Semana de 12 a 18 de Julho

Esta é uma semana para ir além de ser um líder. É uma semana para inspirar. Não percebemos como influenciamos aqueles que nos rodeiam. Não percebemos o imenso poder que significa a nossa presença. Um determinado gesto pode mudar o sentido da vida para quem nos observa em silêncio. Esse olhar leva-nos a tomar consciência de como pensamos, sentimos e agimos, não para evitar uma má impressão, mas ao contrário, para sermos responsáveis ​​ao mostrar a nossa autenticidade, não aquela fabricada para as redes sociais, não a prudente a evitar interpretações erradas. Mas o verdadeiro, do jeito que somos. É uma semana em que a justiça universal testa-nos e lança a sua espada sobre a nossa falsidade, na nossa forma mal definida ou exagerada. Semana para quem nos observa decidam tomar a coragem ou a energia que irradiamos para dar os seus passos na vida. Assim torna-se uma semana em que sentimos empatia e concordância com os que estão próximos, mas também sentimos o risco do nosso ego por não calibrar quem realmente somos. O perigo está em nos acharmos especiais, superiores, donos da verdade, onde o orgulho rompe relacionamentos. Isso desperta os inimigos, os adversários que não querem que avancemos, os que invejam profundamente os nossos passos, os que nos desejam problemas. A justiça universal não atua apenas com o bem, ela atua com os coerentes, com os quais podem pensar, sentir e agir no mesmo sentido. O mal aprendeu esta técnica. Sabedoria também. Quem ganhará? o mais bem alimentado, o mais bem preparado, quem tem mais forças para se sustentar no turbilhão da vida. Às vezes, não fazer nada é a melhor arma contra aqueles que fazem muitas acrobacias no jogo da vida. Quem trabalha no circo, aprende que o exagero é para o show, mas aí, quando tiramos a maquiagem, voltamos a ser quem somos. Aquilo que somos, é o que esta semana se torna real, poderoso, relevante. Melhor responder à pergunta de quem somos quando ninguém nos vê, porque esse ser é quem realmente é o verdadeiro líder em momentos de grande emoção.

No plano material e dinheiro

Semana para atrair boas oportunidades sendo quem somos. Posições falsas afastam empregos, negócios, lucros e dinheiro. Mas isso não significa ficar em silêncio. Vamos mostrar o que temos a oferecer, digamos o que temos para dar, pedimos o que precisamos. Semana para que a honestidade acabe por resolver aquela coisa complexa. Nós nos livramos do que não é mais útil. Damos ou deixamos de lado o que não nos acompanha mais. Pode ser uma semana que pareça uma decisão drástica, mas é a coisa mais honesta que temos que fazer, separando o que funciona do que não funciona. O passado não volta, então não esperemos com ferramentas antigas pelo que não virá. O dinheiro bate à nossa porta e espera ver o que é simples, o essencial, a nossa essência consistente com a nossa capacidade de criar valor.

No plano sentimental

Semana para sentir que somos rejeitados nas nossas posições pouco claras ou insinceras. A amizade passa por uma crise de avaliações, sendo um momento em que não estamos dispostos a tolerar nada. O respeito é imposto, e seremos nós que estabeleceremos regras claras de amizade para evitar transtornos no futuro. A mesma coisa acontece no amor. Os relacionamentos estabelecem os seus limites, onde o amor permite muito, mas não tudo. Semana para aprender que há valor a ser compartilhado, mas há atitudes a rejeitar. Ninguém muda pelo outro, só damos -ou não- para viver o amor que merecemos.

No plano espiritual

Semana para parar de dar importância ao que perdeu valor na nossa vida. É hora de deixar de acreditar no sagrado por tradição e nos dedicarmos apenas ao sagrado que nos dá um verdadeiro sentido à vida. Representamos o divino em objetos e atitudes que não representam mais as nossas crenças. Eliminamos símbolos falsos e permitimos a entrada de novos, cheios de poder. O espiritual, quando purificado, aumenta o poder quando espiritualizamos o sagrado e materializamos aquilo que agradecemos. O divino não nos pune, nós nos punimos. E melhor observar e reavaliar o que adoramos, o que acreditamos com devoção, o que nos dá sentido na vida. Assim como quem ordena o que é útil e o separa do que não é mais útil, também selecionamos crenças e experiências espirituais para não ficarmos mais confusos. Ganhamos a simplicidade, pureza, coerência de pensar, sentir e agir com uma atitude real, acima dos nossos compromissos, acima das nossas conveniências. São tempos em que os nossos clubes vão encerrar por falta de adeptos, porque cada um fez as suas escolhas, escolhendo a honestidade, a crença verdadeira que decidimos ter como nossa.

fernandoconfianza-1

Donativo

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho

5,00 €