[Português] Semana de 19 a 25 de Abril

Semana para cuidar da energia. Isso não significa não a gastar, mas perceber que desperdiçá-la traz cansaço, dúvidas e frustrações que nem mesmo o descanso consegue recuperar. Pelo contrário, é tempo de investir energia no aprofundamento dos cinco importantes projetos que estamos a empreender, a começar pelos pessoais, os que nos obrigam a abandonar as expectativas e promessas que fizemos no passado, ou os que temos para recuperar o que tínhamos anteriormente. Depois, para os projetos que se estão a transformar ou os que transformam a nossa vida em relação à forma como obtemos rendimentos e aqueles que condicionam a maneira como vivemos. Todos estamos em profundas mudanças que se materializam com força ou com prazer nos próximos meses, gostemos ou não. São tempos tão novos que o conhecido ordena-se ao desconhecido e, principalmente, as nossas relações pessoais, de trabalho e afetivas, que passam pela necessidade de parar a mente, parar os motivos, parar as crenças do “que tem que ser”, para estar na constatação de que, sendo flexível, aceitando novas formas, e não exigindo ou convencendo o outro das nossas crenças, nos fará viver um momento bastante agradável. Semana para perceber que se insistirmos que tudo aconteça como queremos, apresenta-se uma semana muito difícil, de discussões, desentendimentos e tensões muito marcantes. Damos demasiada importância ao que é importante porque temos medo, estamos confusos ou derrotados, porque o que as nossas expectativas querem está longe de como o presente está ordenado.

No plano material e dinheiro

Semana para aprender que entramos numas semanas – possivelmente até junho – onde ninguém convencerá o outro das razões que temos para lhes dar. Semana de desobediência, de desafios, de raiva, de gritaria onde os frustrados mostram o mais ridículo deles quando se trata de crenças. Semana para compreender que perdemos, e derrotados vamos em direção ao que é, pelo o que teremos de nos responsabilizar e pelo que teremos de autoexplicar o que é e o que não é. Semana onde o seguro é o que te faz feliz, o que se comemora, o que te oferece descanso, relaxamento e agilidade. Tu atrairás dinheiro se aceitares o que não experimentaste, por mais disparatado ou louco que possa parecer. O conhecido atrai apenas o conhecido. Mesmo o risco apaixonado tem frutos surpreendentes para nos dar. Semana em que aprendemos que avançamos e que é hora de ter um plano, não como uma linha rígida, mas como uma referência para permitir que o novo, o surpreendente e o diferente se realizem naquilo que planeamos.

No plano sentimental

Semana para ser um pouco sensível, mas entendendo que o que sentimos é verdade. Algumas pessoas, hoje em dia, estão desanimadas e impulsivamente preferem acabar todos os relacionamentos, todos os contatos e todos os sentimentos. Teremos que perceber que é a forma que a imaturidade exige crescimento. Entramos em momentos em que nos sentimos responsáveis, começando por nós mesmos, aceitando que somos parte da deterioração, do erro e do egoísmo. Com isso, chegamos a um estágio em que tudo se torna leve e sincero. Esse é o positivo desta semana, onde vence a sinceridade, a verdade, a emoção vulnerável que exige força. Às vezes, temos que perder para ganhar.

No plano espiritual

Semana de oração e devoção nos nossos altares para se tornar nossa luz e esperança. Não é uma semana triste, é uma semana de confirmações de que a Fé que temos é o veículo que nos aproxima daquilo que nos dá serenidade e maturidade. O riso e a espontaneidade aparecem cheios de coisas que podem excitar-nos na vida. Permitir que deixemos de ser tão responsáveis, tão sérios, tão importantes é a chave da semana para que o nosso mundo interior tenha a chance de florescer. Podemos ter que pedir perdão. Podemos ter que perdoar. O perdão não contém esquecimento, mas aceitação sem o direito de reclamar. E isso só poderia explicar nosso novo jeito de ser. Nem todos merecem aceitar os teus comportamentos e intenções, por isso não somos obrigados a aceitar todos no nosso ambiente. Às vezes, a melhor forma de perdoar é afastar-se, ignorar e abrir mão de toda influência, para que cada um encontre novos mundos, novos horizontes de vida e novas amizades que dêem o que vamos deixar de dar. Não tão condescendente ou tão rancoroso. Apenas a distância regula o perdão.

fernandoconfianza-1

Donativo

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho

5,00 €