[Português] Semana de 12 a 18 de Abril

São dias encantadores que começamos a duvidar de tanta gratidão que temos á nossa volta. A informação que recebemos de todos os elementos que se apresentam confunde-nos porque não casam uns com os outros. Ficamos confusos, duvidamos, desesperamos e preocupamo-nos diante da chegada de notícias, dados, ofertas, afirmações e fatos que nos deixam em silêncio por alguns segundos. Pelo contrário, e como efeito, podemos ter reações impulsivas e pouco pensadas e opiniões que nos surpreendem, bem como, podemos testemunhar reações gigantescas daqueles que colaboram ou participam connosco. Não é um convite para medir a nossa espontaneidade, mas é um momento em que falamos devagar, agimos devagar, sejamos cautelosos, mas seguros. O que é para nós, estamos a atrai-lo, e o que não é, não vem, não aparece ou não se manifesta nenhum grau. Sim, uma semana para ficarmos decepcionados com o nosso plano, mas aparecem outras luzes que redirecionam-nos rapidamente. Semana pra ficar muito atento, porque quem não corre, voa.

No plano material e econômico

Semana para observar como a realidade se divide em duas: a que caminha a ordem, o direito, o justo e o que beneficia a todos; e o que caminha no engano, o duvidoso e o que conhecemos não traz frutos e nutrientes saudáveis, mas aponta para o benefício de quem manipula e de quem procura o poder de forma perversa. Como os impulsos são muito sensíveis, podemos decidir por engano e falsa forma, onde teremos problemas mais tarde. Por outro lado, o dinheiro precisa ser medido de forma comedida, porque a grandeza às vezes é construída sobre pilares frágeis. É hora de planear as recompensas, o dinheiro, a abundância, mas é melhor crescer passo a passo do que tentar o que vai gerar frustrações e decepções.

No plano sentimental

Atraímos o que pensamos, e é uma semana para perceber que os sentimentos de amizade e amor se confundem com as suposições e fantasias, onde duvidamos dos outros e do nosso parceiro. Duvidamos porque tentamos ter e sentir o que imaginamos. A imaginação e o dar por garantido enganam-nos. Cada um tem as suas formas e os nossos medos vêm à tona, semeando insatisfação. Sem ser excessivamente confiantes, vamos dar-nos permissão para sentir o que existe e amar o que está diante de nós com a realidade. O amor que existe para dar e receber não pode ser nem mais nem menos do que o que cabe em nossos corações.

No plano espiritual

Semana para sentir um pouco de melancolia onde pode surgir o sentimento de solidão interior. Confundimos mal-entendido com abandono. Ninguém nos abandonou e o divino ainda está aí à espera do nosso ritual, do nosso altar, da nossa cerimónia e da valorização de tudo o que nos rodeia e chega até nós em abundância. Hoje separamos a questão da magia, onde o valor e o que realmente vale existe apenas na magia que damos às nossas situações, objetos, objetivos e ambições. A riqueza espera a nossa magia e o nosso ritual de gratidão para dar lugar ao retorno dos sinais claros onde os anjos nos dizem que existe uma nova forma de compreender a serenidade. O sereno é o amor puro que merecemos quando ninguém nos deu, e que o damos quando estamos cheios daquilo que bate em forma de uma doce maravilha e calma interior. A calma não é um presente, é o que despertamos quando apreciamos cada gota do que nos é dado.

fernandoconfianza-1

Donativo

Obrigado pela generosidade para poder continuar a desenvolver este trabalho

5,00 €