[Português] Semana de 28 de Dezembro a 3 de Janeiro

Possivelmente, pedir a 2021 que traga coisas boas e inúteis, ao compreendermos esta semana que não é o ano novo que tem que acomodar os nossos conflitos e os nossos desejos, mas que somos nós que temos de criar um novo desenho da nossa atitude e do nosso potencial. Em particular, aquela parte de “já percebemos que o que queremos não acontece”, mas que nos aproximamos do que queremos, e o resto é a nossa vontade que nos permite mover. É uma semana de equilíbrios e aprendemos que somos nós que vamos ao tesouro e não as boas novas que vêm espontaneamente. Descobrimos que somos novos e é hora de nos conhecermos novamente. Chegará a hora de nos colocarmos em ação. Por enquanto, contemplação, compreensão e muito sentimento. Por outro lado, momentos em que fazemos promessas e reflexões sobre a força que sentimos dentro de nós e como a canalizaremos. Há muita transformação e desinformação diante dos nossos olhos. Portanto, sem ter verdades, há versões que temos que escolher, e devemos estar na nossa melhor e mais feliz alternativa. Há muito que não sabemos. Existem muitas transformações que exigem que evoluamos. É hora de pensarmos seriamente que os tempos oferecem-nos dois caminhos: um de continuar á espera do que não vai acontecer, e outro de movermo-nos e decidirmos pela ação. Mas as ações que nos leva a um lugar com sentido e não ao desejo de sentir triunfo e aplauso. É bom sabermos que as conquistas não serão individuais, mas coletivas. Da mesma forma, estamos a decidir quem nos acompanhará no próximo caminho.

No plano material

Semana para refletir sobre o que aprendemos e entender que este ano que partimos obriga-nos a aprender – com dor, tristeza ou sossego – que não é o fazer obsessivo ou a velocidade com que corremos que determina a certeza ou o acerto. Portanto, esta semana, lenta e lenta no seu caminhar, oferece-nos planos e pensamentos, mais do que lucros e golpes de sorte. Podes ter duas ou três conquistas principais, mas todas dentro do um contexto de aprendizagem. Uma semana para, talvez, ensaiar para entender que tudo o que temos á nossa volta, por mais humilde ou luxuoso que possa parecer, é a nossa riqueza. E que queremos mais, e no final com o que temos, aprendemos a sentir que o que é agradável e valioso não é oferecido pelas coisas, mas pela profunda relação de afeto e significado que temos com os objetos. O mesmo com o dinheiro: não é tê-lo, mas valorizá-lo como a riqueza da nossa dedicação e vocação àquilo que mais gostamos e mais almejamos. Por fim, é uma semana para confirmar que dar cria sempre a energia de receber.

No nível sentimental

Semana para amarmo-nos, olharmos um para o outro e observarmos como expressamos o dar e receber do amor que temos. E não é receber o que queremos ou esperamos, mas sim entender que o outro só tem uma forma de dar o melhor que tem para nós. O amor aceita que “não sobra nada e não falta nada”. Portanto, é uma semana de conclusões, de sentir que temos o que temos e o que temos pela frente. Isso leva-nos a evoluir para a compreensão da profundidade que queremos, aquele tipo de sim ou não que nasce do coração. Possivelmente, sentimos um pequeno golpe no peito que nos acorda e diz-nos que decidimos fazer uma pausa para avaliar o que valemos ou merecemos. Talvez o fim dos tempos não esteja a chegar, mas as conclusões que precisas para te permitires ir em direção ao que estamos á procura e dar-nos um sentido pleno no amor. Enquanto isso, esta semana desfrutamos da ternura, do riso, da generosa bondade de saber e saber que merecemos qualidade, aquela que se fala com excelência e não levianamente, porque a leveza nos leva a lagos conhecidos que não queremos mais viver. Talvez o amor comece por reconhecer que já conhecemos o caminho que nos ilumina, e que conversar contigo já é o primeiro passo do primeiro amor, aquele contigo, aquele que se fala com carinho e com boas palavras, sem abusos ou desqualificações internas. A partir desta semana, parece que precisaremos de uma nova linguagem para definir a capacidade que temos de nós mesmos. E não precisas de desprezo ou diminuição para falar de nós, mas de grandeza, elegância e acima de tudo, palavras de habilidade para que possamos ser e sentirmo-nos bem. O grande e bom amor pelo outro começa valorizando o grande e bom amor por nós mesmos quando estamos sozinhos.

No plano espiritual

Semana para entenderes que não podes estar com todos ou sentir tudo o que imaginamos para esses momentos. Mais do que ter que escolher, são tempos de decidir estar e ficar perto das pessoas que nos alimentam e contribuem, e não daqueles que constantemente nos desafiam, desqualificam, exigem de nós e colocam sobre nós um peso que não merecemos. É uma semana de atos de profundo amor para decidimos distanciar-nos mesmo daqueles que moralmente não o deveriam fazer. Mas são tempos em que não permitimos mais o que nos puniu, nos limitou ou perturbou. Agora, olha para cima e ouve o silêncio espiritual que nos cerca. Estamos pensativos e não é tristeza ou depressão. É a raiva e a coragem que são inspiradas em suspiros profundos para ganhar força e agir adequadamente. Talvez digas adeus a alguém que não te permitiu ser. Talvez dizer adeus ao nosso antigo eu que não nos satisfaz mais, mas lembramos disso com honra. Lembremo-nos que os fins, quando estão em tempos de evolução, tornam-se inícios, aceitando, calando, rezando. São momentos em que mudamos de um lugar anterior que nos tenta a ficar, mas sabemos que já não nos pertence. Às vezes não é um lugar físico, mas um estado emocional, uma ideia, uma atividade, um grupo humano que não preenche os nossos corações. É hora de começar com princípios e valores, com ética e força, com toda a vontade de explorar o que queremos, sozinhos ou com alguém que nos ajuda a desenhar aquele objeto de valor.

fernandoconfianza-7

Donativo

Obrigado pelo teu donativo. Agradeço inmenso a tua generosidade.

5,00 €