[Português] Semana de 6 a 12 de Julho

Semana em que encontramos as palavras para descrever que o sistema em que vivemos requer alguns ajustes e leva-nos a deixar o obsoleto. São anunciadas reformas e mudanças que surpreenderão alguns, outros não gostarão e celebrarão aqueles que acham que é hora. Como humanidade, são dias em que temos a sensação de nos livrarmos de alguns dogmas aprendidos quem sabem quando, mas que cumpriram a sua função. E aceitar que precisamos de nos declarar em remodelação, mesmo sem um determinado objetivo, mas uma imagem difusa do nosso bem-estar. E saberás que é assim quando as pessoas á tua volta ouvirem essa afirmação de ti, porque não percebeste que te dedicaste a fazer críticas permanentemente aos outros e te deixaste para ultimo. Outros veem que defender o impossível faz que te rendas ao que não aconteceu e também te entregas ao que deves evoluir. E nesta semana, desperta a tua autocrítica com ações concretas para deixar os costumes emocionais e diários, para que o novo que sentes à tua frente seja incorporado à tua vida.

Semana em que são anunciadas profundas mudanças na direção de empresas, corporações e nações. Semana em que já estamos a ver quem estará do lado oposto de quem e onde a tua comunidade, a tua empresa, os teus líderes e a tua sede viverão tempos muito controversos, porque são tempos radicais e não de consenso. Parece que uma guerra vai começar, e pode haver alguns anúncios de confronto futuro esta semana. É também um momento de notícias de redução e restrições orçamentárias, onde o dinheiro é pequeno e haverá silêncio e frustração. É uma semana de pancadas fortes para quem gosta de ordem e continuidade. Nada continua como sabemos e ninguém é indiferente. Mais do que resistir, no teu pequeno mundo há a obrigação de fazer ajustes e, acima de tudo, de deixar as tuas definições que não dão mais respostas ao presente, de avançar em direção ao novo que te trará prosperidade, estabilidade e evolução na tua vida.

Portanto, e olhando para o céu, as estrelas e as constelações, são momentos em que vivemos a decisão de mudar de um lugar para outro. Alguns chamam de exílio. E é de outro lugar – ora psicológico, ora terreno – de onde vivemos as grandes transformações. Somente aqueles que se deslocam podem reconhecer com espanto as mudanças do tempo. E os tempos convidam-nos a mudar, a definir-nos de longe, a focar no horizonte e não no presente, porque, ao sair do barulho e da monotonia, tu podes criar e construir uma nova versão de ti mesmo e o que consideras teu. Eu recomendo que nesta semana construas a descrição da tua nova crença. Diz para ti mesmo “Eu acredito que isso será de uma nova maneira …” e continua a apreciar a tua crença. Não deixes que outra pessoa faça o trabalho por ti. És tu quem constrói a estrada e não anda em terra comprovada, porque os teus sapatos conhecem apenas os teus pés, e não os pés dos outros. Estamos a viver um fim sem fim, porque não há finais, apenas novos começos, onde eu recomendo que mantenhas energia e paciência, espanto e vontade para novembro, o mês em que já saberás que não há possibilidade de retornar, onde não há mais um passado, mas uma história e uma lenda do que foi vivido anteriormente. E sem ser um fim, é um fim que anuncia um novo começo.

Hora de curar definitivamente o que é deixado para trás. E vamos parar de usar o passado como uma desculpa para defender a nossa dor atual. Já crescemos e recuperamos, e há apenas a dor que merece respeito, por sua vez, superação. É uma semana de sentimentos em que o amor traz de volta memórias das velhas batalhas que deixamos para trás, para juntar novas energias do amor, de sentimentos que são expressos de maneira diferente. Estamos aproximando-nos do puro amor. E cuidado com a rebelião de não querer parar de sofrer, porque temos a tendência de querer que outros sofram também, a fim de estarem em igualdade de condições. Os outros não precisam de ficar magoados como tu. Cada um com seu fardo, mas cada um com sua renovação. Da mesma forma, uma semana para colocar muita energia em explicar e compreender com o que sentimos no presente. Parece que o excesso de perguntas nos faz perder a segurança. E queremos ser acompanhados, mas sem o outro, na solidão.Isso mudará em alguns dias para percebermos que somos nós e não o outro que está em conflito por não aceitar o que sentimos, quando é o melhor que podemos oferecer.

Semana em que olhamos para as pessoas nos seus detalhes. E observamos que muitas pessoas, após uma vida de convívio, descobriram que se davam mal. E um simples vírus desarma o castelo de areia em que vivemos para desmascarar que merecemos uma nova maneira de viver. E tudo começa com um bom humor e uma boa disposição, porque se há algo simples de medir sem estatísticas ou empresas do mercado, é a vontade de manter novos critérios para nos unir ou nos separar no futuro. O futuro que todos construiremos juntos, e não separadamente, e não é uma condenação, é uma espécie de princípio universal (e muito cristão também para aqueles que a esqueceram). Nesta semana, aparecem actores sociais que defendem seu capital com um rosto de egoísmo e profunda ambição, mas a compaixão fará abraçá-los nos nossos corações. A sua ganância infantil nos dará ternura. E não para que ele perca com amor, mas para que a sensibilidade chegue àqueles que continuam a ver o mundo entre vencedores e perdedores, entre aqueles que acumulam e aqueles que irão pedir de joelhos, entre aqueles que podem e aqueles que não podem. Ninguém ganha e ninguém perde quando contribuímos com bom humor e vontade de construir um momento essencial para avançar. A alegria é uma forma de progresso em direção a este 2020 que ainda temos que passar. E já sabemos que estaremos mais bem dispostos quando aceitarmos não estar no mesmo lugar ou da mesma maneira que ontem. Temos que estar dispostos a esperar que encontremos novos caminhos; caso contrário, a frustração transformará a raiva contida num campo de batalha que continha energia de injustiça social em todas as escalas humanas. Não há nada mais cruel do que assistir a alguns divertirem-se quando experimentamos um desastre com os outros. E vamos cuidar dessa energia com respeito pelo outro, em sentir pelo outro, porque esse outro pode ser alguém muito importante para ti, e esses são momentos em que o bom humor, disposição e compaixão são testados nos nossos corações e fora do nosso ser, ali onde as mãos se abraçam, ajudam e colaboram com o outro, de modo que juntos fazemos o presente comum que dará paz, serenidade e estabilidade às manhãs que são desenhadas nos nossos sonhos. Tempos de tensão estão aproximando-se, e tento colaborar com gentileza para avisar, mas também para tornar esses tempos uma evolução com paz que não temos escolha a não ser esperar.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s