[Português] Semana de 8 a 14 de Junho

Semana em que é difícil que nos deem o que queremos. E estamos a descobrir que há uma diferença entre um capricho ou uma teimosia, com a vontade e o mérito. Ainda queremos o que precisamos num mundo que não é hoje. E como ainda não dominamos o presente (e acreditamos apenas no que serviu no passado), não sabemos como pedir ou desejar em novas circunstâncias. Estamos a treinar dia a dia. A paz, sentimentos e abundância que procuramos não são úteis no presente, porque parece mais difícil encontrar fora de nós. E tudo o que o outro pode fazer por ti parecerá pouco ou desajustado à tua realidade, porque ninguém pode decidir o presente e o caminho que seguirás, mas és tu quem terá de encontrar significado em toda actividade e todo desejo. E, possivelmente, queres ter ou viver o que dizem as revistas ou redes sociais, e tenho que te dizer que é uma semana para entender que cada um vive na sua dimensão. E perceberás que o teu mundo merece tanta beleza e alegria quanto tu possas criar. Mas és tu quem constrói tudo, e não o outro que tenta ajudar-te. Continuar a acreditar que o que nos rodeia tem a obrigação de nos dar serenidade e tudo o que precisamos para viver é uma demonstração da grande mentira em que passamos a acreditar sobre a calma e o presente. Tudo o que procuramos para o nosso bem está dentro de nós.

Semana para caminhares sobre as dificuldades. Desde a semana passada, estamos em oposições que oferecem resistência e já começamos a conhecer a maneira de escolher um destino em detrimento do difícil. Teremos que confiar em nós mesmos, porque os líderes já não sabemos se eles cuidam de nós ou nos controlam. As emergências gerais acabaram e agora o desgaste mostra líderes confusos e menos populares. É impossível acreditar que um líder arrisque tanto em nome do bem comum. Aqueles que lideram grupos de trabalho, como aqueles que governam sociedades, atingem dias em que suas acções em conveniências pregam partidas e, geralmente, o cidadão cobra com frustração e desconforto. Toda demonstração e revolução é um espelho da cegueira e das intenções pessoais de líderes ou governos. Já á algum tempo que o funcionário público confunde “servir” com “servir-se”.

Semana de iniciativas em atividades lucrativas. Tudo começa com uma ideia motivadora e depois transforma-se em ação concreta. Lucros e abundância vivem dentro de ti. E eles não servem para atender às tuas necessidades, mas servem para desfrutar do teu presente. A abundância chega apenas para aqueles que estão dispostos a desfrutar. Semana para trabalhar idéias, novas tentativas, possibilidades remotas que se tornam certezas. É um bom momento para tocar o que se tornará um tesouro. Mas insistir no tédio, no que se tornou chumbo, no que não distingue, é entender que tu preferes o confortável e o fácil antes de dar o passo da evolução nas tuas atividades lucrativas. Motiva-te com o que te oferece novidade e tu gostas, porque quando o dinheiro bater à tua porta, espere ver o teu rosto com alegria e prazer, e não a tua monotonia e cansaço.

Semana para amar amando-nos profundamente. Estamos a encontrar essa doçura para nós. Nós nos recompensamos e nos damos gestos de mérito. Celebramos e sorrimos com a intenção de nos preparar para brilhar. Semana para ter a nossa aura brilhante de confiança e alegria. É o primeiro passo para sentir que o amor está em nós, e não em quem tem que vir para te dar amor. O amor não é uma gelataria onde experimentas sabores diferentes para escolher o que mais gostas. O amor é uma certeza e uma decisão que sentes primeiro contigo mesmo. Pode ser uma semana de instabilidade se ainda não tivermos certeza de nós mesmos. Não duvidamos do amor, mas duvidamos de como queremos sentir amor. Portanto, é uma semana de possíveis silêncios, pensamentos e distrações que nos dá pistas para nos amarmos mais como pessoas. O amor do outro é sentido se sentires seu amor próprio. O outro não precisa dar o que falta, mas admirar o que resta.

Semana em que tudo é tão novo que tudo deve ser criado. E essa revelação interna é o despertar da nossa alma que chega a encontrar um sentido de vida que é de admiração e realização, e não seguir um sentido de vida experimentado e andado por outros. Teremos que despertar a energia e não esperar notícias de como e por onde caminhar. E porque tu não tens energia? porque o dever opõe-se ao acreditar. Uma intuição aparece do inconsciente para o consciente que nos diz que começamos a acreditar em coisas novas e é impossível agir de plantão, porque começamos a desconfiar e a não achar que é o caminho certo. Não voltaremos ao normal e não voltaremos ao caminho que os nossos pais nos prometeram. Agora temos a obrigação de criar e criar-nos a nós mesmos. Talvez mais simples, talvez diferente. Sê ousado com a gente. Procuramos e encontramos. Pensemos em formas novas e mais dinâmicas para o futuro, diferentes, talvez fora do que consideramos “normal”, mas não menos profundo, desde que tenhamos clareza na direção que queremos para as nossas vidas. Essa é a chave para este ano. Reconstrua o significado da grande ilusão e os detalhes que nos levam ao paraíso pessoal que cada um desenha. Podemos nos ajudar, mas sabendo que não há mais rebanhos e que andam às cegas. E cada um acorda no seu próprio ritmo. Mas terás que fazer isso por ti e sozinho, e ninguém poderá fazer isso por ti.

Responder

Introduce tus datos o haz clic en un icono para iniciar sesión:

Logo de WordPress.com

Estás comentando usando tu cuenta de WordPress.com. Cerrar sesión /  Cambiar )

Google photo

Estás comentando usando tu cuenta de Google. Cerrar sesión /  Cambiar )

Imagen de Twitter

Estás comentando usando tu cuenta de Twitter. Cerrar sesión /  Cambiar )

Foto de Facebook

Estás comentando usando tu cuenta de Facebook. Cerrar sesión /  Cambiar )

Conectando a %s